quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Sacerdotes que abusaram de mim

Livre tradução de um texto bastante forte sobre as tremendas experiências que uma pessoa teve com alguns sacerdotes. Ouso dizer que esses formam parte da maioria. Cuidado com eles…

Segundo estatísticas, 99,6% tem as características deste relato. Ou seja, EU, VC, TODOS já tivemos contato com Padres assim!!! É como se estivéssemos cercados mesmo!! Sei que muitos deles estão a estas horas sentadinhos em seus Confessionários , ou visitando moribundos, ou conversando com seus ditos “filhos”, mas, não se enganem, é aí mesmo que fazem vítimas como nós... Se não querem que aconteça com vcs o mesmo que aconteceu com esse rapaz, comigo e com algumas outras pessoas que conheço (SIM, É VERDADE! Coheço MUITISSIMAS!!!!!), tomem cuidado no trato com eles, evitem consulta-los e conversas com detalhes e, principalmente ante algum problema doloroso que seja preciso chegar a algum deles, NÃO OS OLHEM NOS OLHOS!!!  
“Quanto era muito criança (eu de colo!!), sem ter consciência, sem liberdade, sem poder defender-me, um deles me fez filho de Deus, herdeiro da Vida Eterna, Templo do Espírito Santo e membro da Igreja, nunca poderei perdoar-lhe por ter-me feito tanto bem. Outro, violentando a minha vontade, insistiu em meus tenros anos em inculcar-me o respeito pelo nome de Deus, a necessidade absoluta da oração diária, a obediência e a reverência aos meus pais, o amor pela minha pátria, e me ensinou a utopia de não mentir, não roubar, não falar mal dos outros, perdoar e todas essas coisas que nos fazem tão ridículos…
Outro apareceu mencionando que o Espírito Santo devia vir completar a obra começada no Batismo, que me fariam falta seus Dons e seus frutos, que já era hora de que viesse em minha ajuda Aquele que me faria defender a Fé, como um soldado. Que ousadia falar em termos tão bélicos! Fez nessa época que eu cuidasse minha alma frente ao mundo, que fosse nobre, leal e honesto… Outro abusou-me dando livros para ler, não lhe bastassem seus conselhos, que faziam colocar o olhar na eternidade e viver como estranho aqui na terra. Quem tirará agora da minha cabeça os quatro Evangelhos? As glórias de Maria? A Imitação de Cristo? As Confissões? As Moradas? Etc. Quem será capaz de curar-me de todos esses tesouros que me marcaram para sempre?
Outro abusou da minha ignorância ensinando-me coisas que não sabia. Outro não falava, mas sua vida virtuosa me inclinava cada vez mais a imitá-lo. Houve alguns que se aproveitaram de mim em momentos inesperados e me corrigiram, me alentaram, e até rezaram por mim. Outros, quando eu já estava em um círculo do qual não podia sair, insistiram com minha natureza caída e me incitaram a receber a Jesus Cristo em Corpo e Sangue, para resistir aos embates do inimigo, para fortalecer minha fraqueza e santificar-me cada dia mais. Embora, para aquele que leia esta denúncia, pareça que isso já é demasiado e que não seja possível, digo-lhe que os abusos seguiram aumentando, e tudo passou a coisas maiores. Cada vez que conhecia um sacerdote, se aproveitava de mim com renovados métodos, relíquias, santinhos, água benta, terços, bênçãos e orações de todo tipo, armavam um cerco com tremendos benefícios que chegaram ao limite do suportável e indizível!!
Quero deixar clara esta injustiça cheia de perversidade, e que atendam a minha reclamação nesta denúncia, por que sei que alguns deles estarão esperando-me para seguir com essa iniqüidade, sentado num confessionário ou ao lado de minha cama quando estiver moribundo, e, ainda que desapareça, seguirão com sufrágios pela minha alma e súplicas de misericórdia. Quero que se somem à minha voz todos aqueles que foram vítimas desses incidentes, e se sentiram ultrajados por estas pessoas, pois sei que a outros os uniram em matrimônio, a outros lhes descobriram a vocação, a outros até chegaram a ajudar-lhes materialmente ou guardaram com chave em seu coração, para sempre, segredos tremendos de suas misérias humanas.
Cuidemos seriamente para não termos trato com eles. Não demos a eles nossos dados. Não os olhemos nos olhos, não os consultemos absolutamente para nada. Não sigamos nenhum de seus passos, pois corremos o risco de um dia cair em suas armadilhas ... conhecermos o imenso Amor de Deus e salvar-nos eternamente”.

Autor: Gustavo Caro

4 comentários:

Caio César disse...

Rapaz...do titulo até o final do segundo parágrafo, eu já tava com o celular na mão pra lhe ligar dizendo que seu blog tinha sido hackeado! Gelei! Mas ao decorrer entendi sentido do texto e a mensagem que ele quis passar! Tive que comentar| Excelente post Danilão! Abraço.

Viva - Eventos e Produções disse...

Gostei muito do texto, vou guardá-lo com carinho.
Tenho que confessar que foi impossível segurar as lágrimas, fiquei emocionado.
Parabéns.

Att, Roger Anderson da Silva.

Laiane das Graças disse...

Esse texto é excelente!! Sem comentários... Quer os Padres abusem cada vez de nós; sempre mais!

laiane disse...

Belo demais o texto!!!
Rezemos incessantemente por eles, e deixomo-nos mais e mais que os seu "abusos" cheguem a nós!